Diário de um zelador

Diário de um zelador

Em uma manhã qualquer, logo após o café recebo o primeiro chamado: “meu controle está quebrado!”

Ao verificar que se trata de falta de bateria, cumpro a primeira missão do dia.

Em seguida: “estou com um vazamento!”

Essa solução demora um pouco mais, então a comunicação com a portaria via rádio se torna mais eficaz.

Vazamento solucionado! Agora, o motor do portão está parado. No momento de acionar a empresa, mais uma surpresa! Visitante que está na portaria não tem liberação de entrada! O que fazer com este camarada? Infelizmente sua solicitação será negada.

Neste momento o técnico do portão já está a caminho. Vou até a área da piscina e deixo tudo limpinho.

Piscina limpa com um pouco de esforço, é hora de render o porteiro para o almoço. Mas não antes é preciso verificar se o portão já está em perfeito funcionamento.

Portão OK, almoço do porteiro coberto, agora eu almoço pra voltar mais esperto.

Após o almoço recebo as correspondências e para separá-las preciso de atenção e competência! Mas espera! O que é esse barulho? Tem uma obra nova em andamento, vou verificar se está seguindo o regimento.

Agora sim: correspondências!

Algumas estão com dados incompletos, falta números de apartamentos, preciso identificar todas pra entregar isso certo.

Com as correspondências identificadas e separadas, começo a distribuição, mas em um dos andares encontro um cachorro fujão! Paro a entrega e o levo até a portaria, em seguida volto para distribuição.

Trabalho de entrega finalizado e também todos os andares vistoriados, percebo e anoto as lâmpadas queimadas. Lista de compras de amanhã começa a ser montada.

Quando eu penso que acabou, um elevador para de funcionar. Não perco tempo e já aciono o reparo, não tem passageiro preso, fico feliz e agradeço.

Já está quase na hora de ir embora, mas antes atendo uma senhora. Seu filho está vindo do interior e ela precisa de um favor. Como ela está sozinha acabo dando essa ajudinha, troco uma lâmpada da cozinha e volto pra minha sala.

Agora posso ir, amanhã estarei por aqui! Certamente o dia será diferente, mas o que me fará voltar é o sentimento de que sou importante em zelar por este ambiente!

Afinal, eu sou o zelador.


Joyce Fernandes

Síndica Profissional desde 2015 – Formada pela Assosindicos 
Apaixonada por desafios e autoconhecimento
“Dispenso o que não me desafia e não me faz crescer.”